22
Dez 07

Um dia, quando um homem chegou tarde a casa, cansado e irritado após um dia de trabalho, encontrou, esperando por si à porta, o seu filho de 5 anos.
- Papá, posso fazer-te uma pergunta?
- Claro que sim. O que é?
- Quanto ganhas numa hora?
- Isso não é da tua conta. Porque me perguntas isso?
- respondeu o homem, zangado.
- Só para saber. Por favor... diz lá... quanto ganhas numa hora? - perguntou novamente o miúdo.
- Bom... já que queres tanto saber, ganho 10 euros por hora.
- Oh! - suspirou o rapazinho, baixando a cabeça.
Passado um pouco, olhando para cima, perguntou:
- Papá, emprestas-me 5 euros?
O pai, furioso, respondeu:
- Se a razão de tu me teres perguntado isso, foi para me pedires dinheiro para brinquedos caros ou outro disparate qualquer, a resposta é não! E, de castigo, vais já para a cama. Vai pensando no menino egoísta que estás a ser. A minha vida de trabalho é dura demais para eu perder tempo com os teus caprichos!
O rapazinho, cabisbaixo, dirigiu-se silenciosamente para o seu quarto e fechou a porta. Sentado na sala, o homem ficou a meditar sobre o comportamento do filho e ainda se irritou mais. Como se atrevia ele a fazer-lhe perguntas daquelas? Como é que, ainda tão novo, já se preocupava em arranjar dinheiro?
Passada mais ou menos uma hora, já mais calmo, o homem começou a ficar com remorsos da sua reacção. Talvez o filho precisasse mesmo de comprar qualquer coisa com os 5 euros. Afinal, nem era costume o miúdo pedir-lhe dinheiro.
Dirigiu-se ao quarto do filho e abriu devagarinho a porta.
- Já estas a dormir? - Perguntou.
- Não papá, ainda estou acordado. - respondeu o miúdo.
- Estive a pensar... Talvez tenha sido severo demais contigo - disse o pai - Tive um longo e exaustivo dia e acabei por desabafar contigo. Toma lá os 5 euros que me pediste.
O rapazinho endireitou-se imediatamente na cama, sorrindo:
- Oh, papá! Obrigado!
E levantando a almofada, pegou num frasco cheio de moedas. O pai, vendo que o rapaz afinal tinha dinheiro, começou novamente a ficar zangado. O filho começou lentamente a contar o dinheiro, até que olhou para o pai.
- Para que queres mais dinheiro se já tens aí esse? - resmungou o pai.
- Porque não tinha o suficiente. Agora já tenho! - respondeu o miúdo - Papá, agora já tenho 10 euros! Já posso comprar uma hora do teu tempo, não posso? Por favor, vem uma hora mais cedo amanhã. Gostava tanto de jantar contigo...

publicado por Anjos às 09:41
sinto-me: Atrapalhada

Sim senhor... Muito bom...
Ricardo a 22 de Dezembro de 2007 às 10:13

Infelizmente a realidade dos nossos dias...
Anjos a 22 de Dezembro de 2007 às 10:18

Dá mesmo que pensar... A situação retratada é extrema, mas reflecte bem a realidade...
Beijos e Mi, Sorrisos
:o))))))))))
mil sorrisos a 22 de Dezembro de 2007 às 11:32

Anjos a 22 de Dezembro de 2007 às 11:35

O espirito de Natal é a Alegria
A mensagem do Natal é a Esperança
O significado do Natal é Amor
Alegria, Esperança e Amor...
Que estes sentimentos estejam
presentes não só no Natal
mas sempre na tua vida.
Feliz Natal e muitas, muitas prendinhas
Beijos cristalinos.
Cristina

Cristal a 22 de Dezembro de 2007 às 14:49

Querida Anjos
Que Jesus, a verdadeira razão do Natal, te traga tudo o que mais desejas. Um Santo e Feliz Natal são os votos das amigas
Estupefacta e Maria

Obrigada por ao longo destes meses teres sido nossa amiga e, sobretudo, pelo sorriso que provocas na Maria
Mil beijinhos
Estupefacta a 22 de Dezembro de 2007 às 17:33

Feliz Natal são os votos do Portal doBebé
Felicidades, prendinhas, docinhos e mt amor

Sara
Portal doBEBE
http;//www.dobebe.com
Sara a 23 de Dezembro de 2007 às 17:31

feliz natal e que o melhor de 2007 seja o pior de 2008

beijinhos
loira incompreendida a 24 de Dezembro de 2007 às 19:25

gostei do teu post e apertou-me o coração.
conheço muitos casas assim, os filhos a terem de "mendigar" a atenção e o tempo do pais, é assustador qd penso que para os meus apis era relativamente fácil darem-me esaa mesma atenção e se trabalhavam muito.
e os valores hoje na vida são bem diferentes.
fica bem e
espaço da raquel a 26 de Dezembro de 2007 às 17:13

Ai... as lágrimas vieram-me aos olhos!
Quanta verdade encerra esta pequena história...
Grande ensinamento.

Beijinho minha amiga.
Júlia a 26 de Dezembro de 2007 às 17:16

Amiguinha,

Como estamos nesta quadra festiva, deixo-te uma prendinha no meu blog.
Um beijinho grande e os votos de boas amizades blogueiras para 2008.
Eu estou a contar com a tua amizade.

Sandra
mudeidevida a 27 de Dezembro de 2007 às 12:40

Uma grande lição de vida..
Infelizmente são os tempos que vivemos..
Ter dinheiro para comprar o tempo do Pai??
o mundo anda mesmo ao contrário..

mas está lindo o texto..
Obrigada.

Beijinhos
Just Moments a 27 de Dezembro de 2007 às 13:26

mais sobre mim
blogs SAPO