02
Set 08

Já cá estou! Acabaram-se as férias! Agora, voltei ao trabalho para descansar...

Não aconteceu nada, não fomos a lado nenhum, birras, choros, pontapés, queixinhas, mau feitio todos os santos dias. Cada vez ando mais desconfiada de que não tenho uma família normal... Ou se calhar o pessoal é que pinta a vida mais cor de rosa do que na realidade é...

Ando um bocado virada do avesso, confesso. Pior do que nunca, admito. Vou piorando com idade, raios partam!

O mais velho mais uma semana e vai para a escola primária. Espero não me dar uma taquicardia igual à que me aconteceu quando entrou no Jardim de Infância... O mais pequeno não há meio de largar as fraldas e eu, que não estou para me chatear, deixo andar, a gaja até é rica para gastar dinheiro em fraldas...

O chefe lá de casa está no seu auge, mas nem sequer me vou alongar sobre o assunto senão ainda vou ser alvo de violência doméstica.

E pronto caros/as leitores/as, como podem ver: tudo como dantes no Castelo de Abrantes!

 

publicado por Anjos às 16:28
sinto-me:

Como te entendo, mas eu como já estava preparada para o pior, as férias acabaram por correr melhor do que era esperado. Mas não há dia em que possa dizer foi tudo um mar de rosas.

Bom descanso no regresso ao trabalho
Bjs
mimi a 2 de Setembro de 2008 às 16:47

Cristo já deitava as férias pelos olhos...
Anjos a 2 de Setembro de 2008 às 16:51

Estou na mesma, junta-te ao clube!!!

Beijokas e muita paciência...
mamaepedro a 2 de Setembro de 2008 às 16:48

que já vai faltando...
Anjos a 2 de Setembro de 2008 às 16:52

respiração abdominal costuma fazer efeito (é remédio santo), pelo menos acalmas um bocadito
espaço da raquel a 2 de Setembro de 2008 às 18:05

E uns copitos de vinho tb ajudam
Anjos a 2 de Setembro de 2008 às 18:56

bem lembrado, tens uma cabeça mulherrr e já agora, tens bom ou mau vinho?????

Por acaso até tenho bom, mt zen
Anjos a 3 de Setembro de 2008 às 09:31

não partes a "louiça" é???

Não senhora, sou sempre uma lady
Anjos a 3 de Setembro de 2008 às 12:57

mas podes ser lady na mesma e teres mau vinho, isso sim, torna a coisa mais interessante

Cristo, odeio pessoas que não sabem aguentar a bebida e se tornam umas histéricas e fazem figuras tristes...
Anjos a 3 de Setembro de 2008 às 14:59

o ter mau vinho não implica tornar uma pessoa histérica e a fazer figuras tristes. qd falo em mau vinho é mesmo apanhares uma grande bebedeira e ficares completamente cool, fixe, relaxada, com piada. capitou???

Isso na minha terra chama-se bom vinho!!!!!!!
Anjos a 3 de Setembro de 2008 às 15:25

AHHHHHHHHH sim??? ok, esclarecida então ;)

olá amiga boa noite poste ,eu sei o que sentir depois das ferias ,estar pronta para mais um ano , quanto aos filhos lá vem um provérbio antigo ,((quem tem filhos tem cadilhos ,quem não tem cadilhos tem )) DESCULPE só estou a tentar dar um pouquinho de força .porque nós nunca vamos ter paz ate mesmo depois deles estarem casados ,e sabe porque eles são nossos filhos ,,e nós os amamos , doce beijinho ... sonhosolitarioe vá lá um forcinha .pense no lado positivo ,no sorriso deles quando as vezes estamos em baixo.
Sonhosolitario a 2 de Setembro de 2008 às 22:00

Ai, ai... por enquanto ainda vou tendo dias pacíficos e calmos, mas será que é mesmo inevitável essa "actividade" toda, todos os dias?? Laura, tu vai com calma, miúda!! Anjinhos...deixem a vossa mãe respirar e descansar um pouco que também é filha de Deus. Ânimo!
Beijos e Mil Sorrisos
:o)))))))
mil sorrisos a 2 de Setembro de 2008 às 22:57

Ui, ui, um só ainda tem controle agora dos dois juntos é o fim do mundo
Anjos a 3 de Setembro de 2008 às 09:32

este post bem podia ter sido escrito por mim...

oh se era... tal e qual... sem tirar nem pôr!!!
Lilly a 3 de Setembro de 2008 às 11:30

E eu a pensar que só eu é que sou uma ave rara e mãe desnaturada...
Anjos a 3 de Setembro de 2008 às 11:32

Rapariga... vê-se bem que não me tens lido...

Essa da idade, fêz-me rir!
Beijoca grande.
Júlia a 3 de Setembro de 2008 às 13:44

Já sei que te encontraste mulher, talvez precise de passar por uma provação qualquer para ficar bem comigo mesma. O que eu preciso mesmo é de deixar de tomar a pílula de vez e fazer daquelas operações...
Anjos a 3 de Setembro de 2008 às 15:00

Agora "violência doméstica" está na ordem do dia, porquê? será para desviar a atenção dos cidadãos de outras violências? Agora, quando este país está "a ferro e fogo" sob a mira do ataque de violentos "gangs", que estão dispostos a tudo para conseguir os seus gananciosos intentos de obter dinheiro fácil, foi a vez do Governo se lembrar o drama da "violência doméstica". Ela existe e continuará a existir sempre mas nada tem a ver com o que foi no passado ou existe noutros países.

Os amantes das estatísticas gostam muito de comparar realidades entre os diversos países. Será que são capazes de comparar o que se passa em Portugal com o resto do mundo? ou com o que se passava há 30 anos?

Em Portugal, frequentemente são postos em liberdade, a aguardar julgamento, assaltantes violentos, traficantes de droga, de armas e até assassinos, colocando em risco vítimas e testemunhas, por isso não julgo ser essa a altura para tratar da questão e fazer sair leis com vista a por em prisão preventiva os homens ACUSADOS de "violência doméstica". Há crimes que estão na ordem do dia e que exigem uma resposta urgente. resposta.

Os acusados de "violência doméstica" também têm direito à presunção de inocência; ou não? A inovação não poderá até levar a esquemas perversos para por fora de casa um qualquer companheiro que se queira por fora de casa. E depois que fazer mesmo que não se prove nada?

Qualquer pessoa reconhece que a "violência doméstica" já foi muito pior em Portugal do que é hoje e há que acrescentar outras formas da tal "violência doméstica" muito pouco referidas. Para além da do HOMEM VERSUS MULHER (a que é sempre referida), há a praticada contra os idosos, familiares deficientes, crianças, dos filhos contra os pais e até de mulheres contra homens: sabendo que aqueles não lhes podem "tocar", desprezam-nos, praticam adultério e mesmo quando não têm qualquer ocupação profissional, há mulheres que não se ocupam dos trabalhos domésticos, havendo casos em que é o marido que depois de chegar do trabalho tem que fazer a comida para a família, arrumar a casa e tratar de roupa (se quizer), para além de resolver qualquer problema tradicionalmente executado por homens, como pintar a casa, reparar o candieiro avariado, por uma lâmpada no tecto, desentupir o lavatório, colocar uma telha, sei lá... É FAZER E CALAR, SENÃO RUA E PAGA A PENSÂO PARA OS FILHOS QUE FICAM INVARIAVELMENTE COM A MULHER MESMO QUE O HOMEM CONSIGA POVAR A SUA INOCÊNCIA (o que é sempre muito difícil de provar); DE CONTRÁRIO ATÉ AQUELA TEM DIREITO A UMA PENSÃO PARA SI. Se a questão monetária não importa para quem ganha alguns milhares de euros, o mesmo já não acontece aos menos afortunados. Retirar os filhos ao pai que não é o culpado por uma separação também é uma violência!

O que referi no último parágrafo já é o lema de algumas mulheres (o sexo fraco?), não a aconselho mas demonstro-lhe quem é hoje o verdadeiro sexo fraco.

Zé da Burra o Alentejano

Zé da Burra o Alentejano a 4 de Setembro de 2008 às 11:52

Pois, senhor Zé da Burra, não sei a que propósito vem o seu comentário, porque o acho um pouco despropositado para o efeito. Mas pronto, quem não sabia ficou a saber...
Anjos a 4 de Setembro de 2008 às 12:12

Apesar do seu "post" não ser um daqueles que se queixam do drama da "violência doméstica" em Portugal, a razão do meu comentário é que estou cheio de ouvir falar de "violência doméstica", fico como dizia o há muito falecido actor dos tempos áureos do cinema da comédia portuguesa, António Silva: "fico dessincronizado.

Permita-me que lhe dirija as minhas cordiais saudações.
Zé da Burra... a 4 de Setembro de 2008 às 14:52

"...havendo casos em que é o marido que depois de chegar do trabalho tem que fazer a comida para a família, arrumar a casa e tratar de roupa (se quizer), para além de resolver qualquer problema tradicionalmente executado por homens, como pintar a casa, reparar o candieiro avariado, por uma lâmpada no tecto, desentupir o lavatório, colocar uma telha, sei lá.." citação de uma parte do seu comentário.
Ora para si um homem que tenha que fazer este tipo de coisas sofre de violência doméstica, e uma mulher que tem que o fazer todos os dias não. Da minha parte digo-lhe que todos os dias trabalho, chego a casa tenho que a limpar, fazer o jantar, cuidar dos miúdos, larvar roupa, estender, passar e eventualmente tenho que mudar uma lâmpada, desentupir um cano, arranjar qualquer coisa que se tenha estragado e que tenha precisão imediata dela. Isto, para si, é o quê? Obrigação da mulher, talvez a tenha razão que no tempos das nossas mães e avós sempre foi assim e nunca nenhuma delas se queixou. Pois realmente estamos a lutar por uma coisa que nunca existirá, que é a igualdade entre homens e mulheres, está mais que provado e cada vez está mais latente que a mulher, na verdade, é superior ao homem e neste caso nós somos o sexo forte.

Cordiais cumprimentos.
Anjos a 4 de Setembro de 2008 às 14:59

mais sobre mim
Counter


Eles andem aí...
online
badge
blogs SAPO
badge